Graciely Carvalho

Cervicalgia ou Dor Cervical

Posted by: Graciely Carvalho on: 28/03/2011

Cervicalgia é um problema comum em todo o mundo, pelo menos no mundo industrializado, e constitui causa importante de incapacidade. O pescoço controla os movimentos da cabeça  em relação ao resto do corpo. Uma vez que os olhos e os órgãos vestibulares são localizados na cabeça, informações vindas dos mecanorreceptores das estruturas do pescoço são cruciais para interpretar os dados vestibulares e para controlar as funções motoras que dependem das informações visuais. A cervicalgia pode, assim sendo, ter profundas conseqüências.

Anualmente, a cervicalgia afeta entre 30 a 50% da população geral. • 15% da população geral experimentarão cervicalgia crônica (>3 meses) em algum momento de suas vidas. • Anualmente, entre 11 e 14% da população economicamente ativa experimentarão limitação devida a cervicalgia. • A maior prevalência ocorre em doentes de meia idade, e as mulheres são mais afetadas que os homens. • Os fatores de risco incluem o trabalho repetitivo, longos períodos de flexão cervical, estresse aumentado no trabalho, fumo, e traumatismos prévios do pescoço e ombros.

A fisiopatologia da maioria das condições de cervicalgia não é esclarecida. Existem evidências de distúrbios do metabolismo oxidativo e níveis elevados de substâncias que provocam dor muscular na região cervical, que sugerem que a circulação ou o metabolismo deteriorado do músculo local podem fazer parte da fisiopatologia. A dor cervical ou cervicalgia se associa também com a alteração da coordenação dos músculos cervicais e a deterioração da propriocepção do pescoço e dos ombros. As evidências sugerem que estes fenômenos são ocasionados pela dor, mas também podem agravar a condição.

Os sintomas clínicos associados com a dor cervical são: dor e rigidez do pescoço, dor de cabeça, tonturas e dor que se propaga aos ombros e as extremidades superiores. • A dor cervical pós-traumática se associa com uma variedade mais ampla de sintomas que incluem sintomas temporomandibulares, distúrbios visuais e auditivos, distúrbios do sono, da cognição e da emoção. Comorbidades como ansiedade, depressão e lumbago podem indicar condições mais preocupantes.

Não existem critérios de diagnóstico objetivos para a maioria das condições de dor cervical. Assim sendo, os diagnósticos se baseiam nos sintomas. • As imagens obtidas através de ressonância magnética são úteis nos transtornos específicos como a mielopatia e em doentes intensamente comprometidos, no entanto, possuem valor limitado para a maioria dos casos de cervicalgia. • Manobras provocativas são úteis na determinação do envolvimento compressivo de raízes nervosas.

Devido ao limitado conhecimento sobre a fisiopatologia da maioria das cervicalgias, o tratamento etiológico, em geral, não é possível. Assim sendo, as intervenções terapêuticas e de reabilitação são preponderantemente voltadas a redução dos sintomas e a melhora da função. Há provas contundentes a favor da afirmação de que os programas  multimodais de reabilitação que incluem o exercício físico, a mobilização, a manipulação, e as intervenções psicológicas, melhoram a função e a participação em atividades. Para o tratamento imediato ou a curto prazo, existem provas de que a acupuntura,a FISIOTERAPIA,com a terapia de aplicação do laser de baixa potência e da aplicação de campos de pulsos eletromagnéticos podem ser efetivos. Não existem evidências de que nenhum tratamento farmacológico seja efetivo, exceto o alívio da dor de curto prazo mediante injeções intramusculares.

Fonte: www.dor.org.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Graciely Carvalho

Fisioterapeuta | Crefito 46427-F

Fisioterapeuta,formada pela Universidade do Oeste Paulista - UNOESTE. Com formação Internacional em Microfisioterapia pela Escola de Terapia Manual e Postural Salgado, formação em Cadeias Musculares Leopold Busquet, RPG/FM, Terapia Manual de Maitland.

Atuando na Ortotrauma Clínica de Fisioterapia
46 3225 9316
Pato Branco - PR

Março 2011
S T Q Q S S D
« Fev   Abr »
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031